Plano de saúde cobre todos os custos da Cirurgia Ortognática?

Tópico em 'Cirurgia Ortognática' iniciado por Flávio, 24 Aug 2012.

  1. Olá pessoal!!
    Meu nome é Alessandra, moro em São Paulo quero relatar aqui algumas infomarções.
    Sou prognata classe III, no dia 26/09/2012, quarta-feira passada passei pela cirurgia de expansão maxilar, estou me recuperando bem, apesar de muito inchada e roxa... estou animadíssima com a cirurgia, e bem ansiosa para fazer a Cirurgia Ortognática.
    Meu médico Dr. Fernando Morando me deixa bem animada...
    Bom hoje tenho o convênio Unimed São Roque, e já quero verificar os procedimentos para a próxima cirurgia, já que a expansão fiz no Hospital Público, com meu médico de confiança.
    Será que tenho chance de conseguir fazer a cirurgia de ortognática pelo plano de saúde?
    Abraço a todos.
    Alessandra de Oliveira
  2. Ale Oliveira Usuário Novo

    Olá pessoal!!
    Meu nome é Alessandra, moro em São Paulo quero relatar aqui algumas informações.
    Sou prognata classe III, no dia 26/09/2012, quarta-feira passada passei pela cirurgia de expansão maxilar, estou me recuperando bem, apesar de muito inchada e roxa... estou animadíssima com a cirurgia, e bem ansiosa para fazer a Cirurgia Ortognática.

    Abraço a todos.
  3. guilherme Administrator

    Seja bem vinda ao fórum Alessandra.

    Geralmente os planos de saúde cobrem somente o material usado na cirurgia ortognática e o hospital, os custos do cirurgião fica por sua conta.

    Mas tem pessoas aqui que já conseguiram com que o plano de saúde pague tudo na cirurgia ortognática.
  4. Cristina Silva Visitante

    Oi, achei que seria mais rápido a liberação da cirurgia, mas a Unimed não liberou 3 materiais. Estou aguardando...ainda tenho esperança de fazer a cirurgia ainda em outubro.
  5. Bruna Piloto Visitante

    BRADESCO SAÚDE

    Olá pessoal! Eu preciso fazer duas cirurgias para corrigir meu caso. na primeira será necessário abrir a moridada de cima e na segunda irão fazer adaptações no meu maxilar para que eu possa mastigar e encaixar meus dentes corretamente. Estou brigando com o bradesco desde fevereiro deste ano para liberarem um dos materiais da primeira cirurgia, é sempre o chove e não molha de sempre.. eles liberam a cirurgia porém não liberam um dos materiais alegando que ele "está na moda"dentre os ortognatas!! Um absurdo! Já fiz minha denúncia pela ans em julho e até agora não obtive resposta. (sei que é demorado esperar a ans..). E eu não tenho meios financeiros para pagar um advogado para solucionar meu caso. Já fui convidada a participar de uma junta médica mas meu cirurgião negou a comparecer pois ele falou que era perda de tempo. Eu estou enlouquecendo, vivo com dores o tempo todo!!! Alguém sabe de alguma saída?? Outro plano de saúde? até o sus anda parecendo mais fácil conseguir...
  6. Valéria Costa Visitante

    OLA!! Para quem já registrou denúncia junto a ANS, e ainda não obteve resposta...entra no Plantão Judiciário da sua cidade...24hs.. boa sorte!! e uma excelente cirurgia....bjs
  7. Cristina Sardi Visitante

    Bruna bom dia, qual é o material? Para a minha cirurgia a Unimed não liberou hemostático, enxerto hidroxoapátito e uma ponteira colorado. Essa última o médico abriu mão pq disse que ele já tem. Estou esperando fazem 8 dias e já estou estressada, imagine vc.
  8. bruna piloto Visitante

    olá! =)
    o material que não liberaram é a placa distratora, meu cirurgião falou que é indispensável na minha cirurgia. É que pessoal, eu não vou precisar somente de uma para corrigir meu caso, mas du-as! Eu tenho problema de mordida cruzada e minha arcada dentária é muito pequenininha, e meu maior problema é que tenho os dentes da parte superior muito para frente o que disfarça é que eu tenho um queixo de tábua! hehe.. mas cabe mais de um dedo no vão que forma entre a parte superior e a inferior quando tento fechar a boca! E também nunca é confortável mastigar e eu só respiro com a boca aberta. Mas enfim, na primeira cirurgia vai ser solucionado o problema da mordida cruzada e abrir o céu da boca, o nome dela é osteotomia segmentar da maxila, e a segunda cirurgia é a top, que é a ortognática onde também vão cerrar meu queixo. já esperei tanto pelas cirurgias que até nem tenho mais medo de nada, eu tô é de saco cheio! e quero atear fogo na sede do bradesco por me fazerem de palhaça e não terem respeito com as pessoas
  9. Cristina Sardi Visitante

    hehehe acho que atear fogo pode ser uma ideia...brincadeirinha!!!!!!!! Bem, hoje de manhã recebi a resposta 'oficial' da Unimed, eles NÃO vão liberar mesmo os 3 produtos pra cirurgia, o médico da Unimed me explicou certinho, mas vou ver com meu cirurgião se ele vai fazer a cirurgia sem esses produtos ou não. A Unimed disse sobre cada um dos materiais não liberados: a ponteira colorado é de uso particular do médico, cada um tem a sua, não é descartável; o enxerto meu cirurgião pode usar meus próprios tecidos e com risco de rejeição diminuido; os hemostáticos são para conter hemorragias e se houver ele pode usar que a Unimed paga, o que a Unimed não vai fazer é liberar antes 'e se ele não usar'???? As respostas parecem óbvias mas, meio ridículas, sei lá... Pra variar eu fico aguardando. Dai-me paciência Senhor, porque se me der um fósforo e álcool..........
  10. AlexANDRE fARDIN Visitante

    Olá pessoal... Olá Alessandra!

    Meu nome é Alexandre Fardin e sou advogado com muito conhecimento e experiência em ações que envolvam planos de saúde.
    Os procedimentos buco maxilo faciais tem cobertura obrigatória por lei, em todos os planos e seguros saúdes de segmentação hospitalar, desde que tenham sido pactuados com as operadoras a partir de janeiro de 1999. São os chamados planos regulamentados pela LEI 9656/1998.
    A cobertura abrange "todas" as despesas com os materiais cirúrgicos (órteses, próteses, materiais absorviveis e descartaveis) e a internação hospitalar, até a alta médica.
    No caso do cirurgião buco maxilo e do médico anestesista serem credenciados ao plano ou seguradora, seus honorários também estarão cobertos. Se estes profissionais não forem credenciados o paciente terá de arcar com estes honorários, sendo que, se o plano tiver cláusula de reembolso, o paciente será restituido desta despesa, no entanto, no limite de reembolso determinado na categoria do seu plano. Já os seguros saúde tem sempre as despesas com não credenciados reembolsaveis, contudo, reitero, dentro dos limites da categoria do seguro contratado.
    Estas coberturas estão discriminadas e asseguradas na Resolução Normativa nº. 8; na Resolução do CONSU nº. 10, em seus artigos 5º, inciso I, e 7º, parágrafo único e na Resolução Normativa nº. 211/2010 e seu anexo, em seus artigos 4º, 6º, 18º incisos VI e VIII e § 2º inciso I e 20º § 1º, todas da ANS - Agência Nacional de Saúde.
    Em resumo Alessandra você não tem chance de realizar o próximo procedimento pelo plano! Você tem é algo muito maior, o DIREITO LEGAL de realizá-lo através do seu plano.
    Meu grande abraço a todos!

    guilherme curtiu isto.
  11. AlexANDRE fARDIN Visitante

    Li neste Forum alguns problemas de pacientes em relação a liberação, junto as operadoras de saúde, de alguns tipos específicos de materiais, tais como, placa distratora; ponta colorado; brocas; hemostático; enxertos; etc.
    Pois bem, informo que todos estes materiais possuem cobertura legal obrigatória e, desde que pedido pelo cirurgião requisitante, terão de ser liberados pelas operadoras.
    Não sou expert cirúrgico, mas conheço muito bem esta area, meu irmão é buco máxilo de larga experiência e tenho dezenas de causas contra planos e seguradoras de saúde.
    O uso da Placa distratora não é modismo e nem novidade! Sua utilização atende a melhor técnica cirúrgica, trazendo uma série de beneficios e um resultado final muito superior.
    Pontas colorados e brocas são intrinsecas ao ato cirúrgico e são materiais descartados após o fim do procedimento. Desta forma, tem cobertura legal, não sendo o cirurgião quem deva fornecer.
    Enxertos quando requisitados tem de ser disponibilizados. Dependendo da extensão da área cirurgica a se enxertar ou do tipo de cirurgia, não há como se utilizar tecidos do próprio paciente.
    Hemostáticos são requisitados pela grande maioria dos cirurgiões. Tem de estar liberados e disponibilizados para a cirurgia, do contrário, caso venha a se precisar dos mesmos durante a cirurgia, como se faria? Interrompe o procedimento e alguém sai para comprar?
    A verdade é que a negação das operadoras a todos estes materiais se deve a questão do preço! Todos eles tem valores elevados, negá-los pode trazer uma boa economia a operadora, em alguns casos, superiores a 40%.
    Não podemos esquecer que as operadoras de planos e seguros saúde são empresas que visam, acima de tudo, lucro. Infelizmente, o bem maior, a saúde do paciente, está relegada a um "terceiro plano", após o lucro e a tentativa voraz das operadoras, em reduzir seus coeficientes de sinistro.

    O Código de Ética Odontológica, que regula os direitos e deveres dos profissionais, das entidades e das operadoras saúde, informa em seu artigo 3º , VI, e no artigo 23º, II e III, que são direitos fundamentais dos profissionais inscritos, diagnosticar, planejar e executar tratamentos, com liberdade de convicção, nos limites de suas atribuições, assim como, recusar qualquer disposição que limite a escolha dos meios a serem postos em prática para o estabelecimento do diagnóstico e para a execução do tratamento, salvo quando em benefício ou à livre escolha do paciente.
    Abraço a todos.
    Alexandre Fardin - Advogado.




  12. Cristina Sardi Visitante

  13. Cristina Sardi Visitante

    Olá Alexandre, interessante... finalmente fiz a cirurgia dia 12/12/12 e sem a autorização do enxerto. Na hora foi necessário e meu marido autorizou e a gente tem que pagar. Se procurarmos a Unimed ela 'tem' que ressarcir ou não?
  14. Alexandre Fardin Visitante

    Ola Cristina!

    A cobertura abrange "todas" as despesas com os materiais cirúrgicos (órteses, próteses, materiais absorviveis e descartaveis) e a internação hospitalar, até a alta médica.
    Estas coberturas estão discriminadas e asseguradas na Resolução Normativa nº. 8; na Resolução do CONSU nº. 10, em seus artigos 5º, inciso I, e 7º, parágrafo único e na Resolução Normativa nº. 211/2010 e seu anexo, em seus artigos 4º, 6º, 18º incisos VI e VIII e § 2º inciso I e 20º § 1º, todas da ANS - Agência Nacional de Saúde.
    O cirurgião ao requerer a autorização para a UNIMED requereu inúmeros materiais inclusive o enxerto e justificou o seu uso, desta forma, não há que se pagar por qualquer dos materiais, a cobertura é legalmente determinada, vide o parágrafo anterior.
    Vcs não devem pagar e ainda fazer a reclamação na ANS.
    Boa sorte!
  15. Visitante Visitante

  16. Visitante Visitante

    Na verdade o problema e o seguinte: a maioria dos profissionais que fazem este tipo de cirurgia são dentistas e os convênios não aceitam credencia-los. Alguns profissionais tem o que eles chamam de dupla formação ou seja, são médicos e dentistas também, esses profissionais normalmente são mais preparados e conseguem negociar com os convênios. Isso foi o que eu percebi. Aconselho a todos a procurarem saber se seus cirurgiões são médicos antes de operarem. Isso pelo menos funcionou pra mim. Abraços e parabéns pelas informações.
  17. Visitante Visitante

  18. Visita Visitante

  19. Visita Visitante

    Onde vc mora?
  20. Fabiana Martinz Visitante

    Sao Paulo, Hospital Geral de Vila Penteado, Dr. Mario Brinhole

    Moro no interior de Sao Paulo e quando meu ortodontista me orientou a procurar um bucomaxilo para fazer uma cirurgia ortognatica, tive grande dificuldade em encontrar na minha região. Tentei em Sao Paulo onde minha tia mora; fui aconselhada a procurar os Hospitais HU, Santa Casa Santa Cecilia e Hospital das Clinicas, no primeiro para minha decepção fui informada que atendiam apenas funcionários e moradores do butanta e nos outros dois mal conseguiam operar os casos de fraturas por falta de materiais, muito menos a minha cirurgia que segundo eles era eletiva e nao tinha urgência. Quase desistindo procurei o Hospital Vila Penteado, era o ultimo da lista pois era um hospital menor e por isto eu achei que seria mais difícil conseguir a cirurgia, para minha surpresa la nao tive difilculdades, a equipe que me atendeu era bem grande no minimo seis doutores, o chefe era o Dr.Mario Brinhole, meu caso foi aceito e eu ja fui operada a mais de hum ano, a parte chata e que a procura e enorme (oque nao e de espantar e único hospital do SUS que faz esta cirurgia numa cidade como Sao Paulo) as vezes em uma tarde o doutor atendia 10 casos como o meu e por isso demorou 1 ano ate chegar minha vez de operar, no seu caso o que acho legal e que o mesmo doutor também atende convenios no seu consultorio particular.

Compartilhe esta página